Sem categoria

Amo de coração o periódico Charlie Hebdo. E olhe que não sou de esquerda, muito pelo contrário. Mas sou radicalmente anti-religioso. Todas as religiões são ruins. Mas a pior delas sem dúvida alguma é o Islã. O Charlie faz parte da ala dos “liberals” que tem cabeça, que sabe reconhecer uma ameaça e tratá-la como tal, e já foi vítima direta dela e, sendo assim, não pode se vender para o espetáculo ridículo do multiculturalismo, essa mania de achar que temos de respeitar até ss culturas mais grotescas. Neste editorial eles derrubaram o mito de que a maioria dos muçulmanos é inofensiva. Não há como ser inofensivo sendo mantenedor de uma cultura corrosiva. Liberais que defendem o Islã são como crianças que entram na jaula pra fazer cócegas no focinho do leão.

Charlie e o Islã

Anúncios
Link

Sem categoria
Imagem
Sem categoria

… Mas, mas, o Islã de verdade não prega a violência, são só as pessoas que deturpam…

Uma pinoia. Na verdade, quem segue uma versão deturpada do islamismo são os muçulmanos moderados, que são algo como os católicos não praticantes.. E nós devemos nos sentir muito felizes por eles serem assim. O radical islâmico é um religioso devoto, não diferente da velhinha que vai fazer procissão em Aparecida e põe água benta em cima da TV para abençoar, é exatamente a mesma coisa, só que a velhinha não precisa matar.

“Pois vós praticardes vossas luxúrias sobre homens em preferência a
mulheres: vós sois de fato um povo cheio de iniquidade. E atiramos sobre
vós uma chuva de pedras.”
Corão  (7:80-84)              

Se um homem solteiro for flagrado cometendo sodomia, ele será apedrejado até a morte.


Abu Dawood 

– Livro 38, Hadith 4448

O apóstolo de Alá amaldiçoou o homem que se veste de mulher, e a mulher que se veste de homem.

Abu Dawood – Livro 32, Hadith 4087

“Quem quer que você encontre fazendo como o povo de Ló (homossexualidade), mate aquele que faz e aquele a que é feito.”

Ibn Majah – Livro 20, Hadith
2561

“O profeta amaldiçoou homens afeminados (aqueles homens que tem semelhança e assumem as maneiras das mulheres) e as mulheres que assumem as maneiras dos homens, e ele disse ‘Joguem-nos das suas casas’“

Bukhari (72:774)

Sim, tem mais: https://islamreligionofwar.wordpress.com/homosexuality/

https://www.thereligionofpeace.com/pages/quran/homosexuality.aspx

Aí você pode dizer, “mas a bíblia também manda punir os homossexuais”. Bom, eu não sou defensor da Bíblia, que também é um livro estúpido (todos os livros religiosos são), mas algo de diferente deve haver, se os cristãos devotos não estão matando gays. Tem muito menos passagens na bíblia prescrevendo a punição de homossexuais, e estas estão num tom muito menos claro e mais “enigmático”, como aliás são todas as passagens da bíblia, e é exatamente por isso que ela é inútil como guia moral. Intolerância a homossexuais é apenas uma das inúmeras práticas de ódio explicitamente incentivadas pelos textos sagrados do islamismo.

Este sujeito, um clérigo islâmico, não está pregando em alguma cidade empoeirada no Oriente Médio, mas na Flórida, precisamente onde aconteceu o atentado a tiros mais mortífero da história dos EUA. Aliás, os textos do Islã dizem que você deve obediência ao Islã antes da lei do país em que você vive, então é perfeitamente possível se radicalizar mesmo num país secular.

Chega de mentiras, chega de hipocrisia. O Islã é uma religião que não sofreu influência do iluminismo, e que explicitamente prescreve a guerra e subjugo de outros povos, e glorifica o martírio, além da intolerância aos “infiéis”. Veja novamente a tradução que eu fiz sobre os sinais de que uma organização é um culto, o islamismo atende a quase todos os quesitos, inclusive o de proibir membros de saírem. Apostasia (deixar a religião) é considerado um crime passível de morte no islamismo.

Se algum “politicamente correto” começar com essa conversinha mole de que “o Estado Islâmico não é islâmico de verdade”, por favor, interrompa-o e corrija imediatamente, já enjoei de mentira. É verdade que muitas pessoas usam desse fato como desculpa para atacar pessoas inocentes (muçulmanos que não são envolvido com atos de violência), o que é lastimável, mas não é aceitável manter mentiras por este ou qualquer outro motivo.

O instituto Pew Research fez pesquisas em países do Oriente Médio (clique) para saber a opinião destas pessoas sobre o terrorismo e a Sharia (infame código legal que prescreve o apedrejamento a mulheres adúlteras e a amputação das mãos de ladrões, dentre outras barbaridades), se você olhar os números, começará a cair por água abaixo o mito de que “a maioria dos muçulmanos é moderado”. É verdade, uma minoria percentual de fato pega em armas e entra na luta contra os “infiéis”, mas a torcida é grande. O vídeo abaixo traz um bom resumo das estatísticas

Por último, mas não menos importante: Estava eu pesquisando no Google para escrever este post, e olha o anúncio que me apareceu:

image

É mole?

Padrão