Educação, filosofia, Humano, sociedade

Arte, Entretenimento e “Alienação”


Acho que todos nós já tivemos um professor comunista chato de galochas, daqueles que acham que toda e qualquer obra de arte que visa o entretenimento é errada de alguma maneira, e talvez nem mereça ser chamada de arte. “Novela?! Alienação, para imbecilizar o povo!”, “Esses Transformers e Batmans e Esquadrões Suicidas: pura propaganda imperialista estadunidense…” Aliás, quer uma dica para pegar um cinéfilo falso, poser? Pergunta o que ele acha do cinema americano. Da forma mais genérica possível, “cinema americano, você gosta?”. Se vier com papinho de que é tudo filme comercial, e arte comercial não é arte de verdade, que só filme argentino que passa em mostra de cinema no Memorial da América Latina é que é arte de verdade…. Nem dê trela pro sujeito. Ou ainda, se quiser embaraça-lo um pouco, lembre-o que O Poderoso Chefão é cinema americano também.

Continuar lendo

Anúncios
Padrão
Empresas, gadgets, geek, trivialidades

Mini Super Nintendo: Vale à Pena?

h2x1_nintendoclassicminisnes_image912w

Ok, só para variar vou falar de um assunto mais leve aqui, chega de depressão e filosofia, vamos falar de coisa boa: Tekpix  O relançamento do videogame de maior sucesso da Nintendo, o Super Nintendo, em uma graciosíssima versão miniaturizada! O Classic Mini Super Nintendo, ou apenas Mini SNES, com o visual idêntico ao original, virá com os jogos clássicos remasterizados em HD, e certamente todo fã deveria começar a juntar as moedas no cofrinho, o lançamento será em setembro, e por tempo limitado… Ou será que deveria?

Continuar lendo

Padrão
Sem categoria

Pokémon Go: Calma gente, é só um jogo

Experimentei o Pokemon Go e achei divertidinho. Só isso. Não acho que haja razão para alarde. Não acho que seja caso de fazer diagnósticos pessimistas sobre a mentalidade da juventude só por causa do secesso de um jogo de realidade aumentada. O fato é que os jovens (e os nem tão jovens) já passavam um tempão com o nariz enfiado no celular, e agora estão passando um tempão com o nariz enfiado no celular caçando Pokémon. Só isso.

O que eu estou gostando mais não é nem o jogo em si, mas o festival de gafes e videocassetadas de “mestres pokémon”. Dá pra rir um pouco. A melhor delas foi quando o pessoal começou a comprar ações aloucadamente, levando o preço às alturas, só pra depois a Nintendo lembrar que na verdade nem foi ela quem fez o jogo, e o preço das ações voltar ao normal.

Também é muito cedo pra dizer se Pokémon Go, e o conceito de realidade aumentada em si, comtinuará um sucesso, ou se as pessoas vão cansar dele, como foi o caso do Second Life, que hoje quase ninguém mais lembra que existiu. Aliás, filme 3D já está parecendo ser uma moda que a indústria está empurrando com a barriga.

Padrão