Aplicativos, geek

Truecaller: Livre-se do incômodo do Telemarketing Ativo

truecaller_logo

É quase 2017 e telemarketing ativo ainda existe… Que infortúnio.

Onde mais tem telemarketing ativo é no telefone fixo. Pior de tudo é a insistência, você diz que não está interessado em seja lá o que for, mas eles continuam ligando mesmo assim. Telefone fixo, por mais que seja necessário às vezes, na maior parte do tempo só serve para encher o saco. Infelizmente, quanto a este o melhor que você pode fazer é tirar o fio da tomada, ou, no máximo, informar, polidamente mas com firmeza, que você não quer mais receber ligações deles, solicitar que o seu número seja retirado da lista, e ameaçar processar se eles tornarem a ligar. Sim, você tem esse direito.

Mas se o problema forem ligações de telemarketing no celular, você pode instalar um aplicativo grátis chamado Truecaller. Tem para todos os sistemas operacionais móveis. Todos mesmo, não só para Android e iOS, mas também para Windows Phone, BlackBerry (BB10 e os mais antigos) e até mesmo Symbian e S40.

truecaller

Depois de instalar e configurar para o seu número, na parte de baixo (ver foto acima), uma barra branca com quatro opções, clique em Bloquear (ícone de escudo), depois clique em Bloquear Configurações, e marque a caixinha “Bloquear Spammers”. Pronto. Se quiser, na mesma tela, também pode marcar “Bloquear números ocultos”. Se quiser também bloquear chamadores específicos para eles não te perturbarem (desafetos, parentes inconvenientes, ex-namoradas por exemplo) nas opções do menu de baixo clique em Contatos, ao lado de Bloquear, selecione o chato ou chata, e clique em bloquear.

http://truecaller.com/

Feliz 2017, com menos encheção de saco.

telemarketing

Anúncios
Padrão
Sem categoria

Computações Geek: AirBnB, Use Com Cautela

Para quem estiver curioso sobre o aplicativo AirBnB, ele realmente é útil se você estiver procurando hospedagem barata e sem muita burocracia, apesar de haver também opções de maior categoria. Ele também é um centralizador de recomendações, de fato que você logo pode consultar se aquela pessoa alugando casa na praia foi bem falada ou não pelos hóspedes anteriores.

Mas um aviso importante, especialmente se você estiver querendo economizar: Você não pode contar com quase nada. Se não diz que tem chuveiro elétrico no anúncio, tanto pode ter quanto pode não ter, consulte. Se diz “cozinha”, isto não significa que há um forno micro-ondas ou mesmo um convencional, pode haver apenas um fogão elétrico de duas bocas, uma pia e alguns utensílios, ou nem isso. Senso comum não vale nada aqui. Na dúvida, pergunte tudo para o host, e pergunte dentro do chat do próprio aplicativo, para você poder se defender caso ele esteja mentindo.

Padrão
Sem categoria

Amo livros, odeio bibliófilos

image

Eu gosto bastante de ler e passo boa parte do meu tempo lendo. Não tenho muitas regras, leio ficção, não-ficção, filosofia, história, política, informática, psicologia… Começo um livro, paro, vou pra outro, volto, e sou absolutamente incapaz de dormir sem passar pelo menos 30 minutinhos com o meu Kindle em frente aos olhos, deitado no escuro. Sou “guloso”, compro bastante livro.

Ah, mas como eu detesto bibliófilos, tenho verdadeiro repúdio a esses tipinhos, que quando te conhecem te olham de cima a baixo e perguntam quantos livros por semana você lê, depois de dizerem quantos livros por semana eles lêem. Caro leitor deste blog, se alguém te disser “leio x livros por semana”, a única resposta adequada é “foda-se”, qualquer outra coisa é lisonjeira demais.

Eu não sei quantos livros eu já li esta semana, ou este mês, ou este ano, leio porque gosto e porque quero me educar, não preciso prestar contas à ninguém. Bem que o bibliófilo tenta, mas não consegue esconder como ele é parecido com o “pegador” que conta com quantas ficou na balada, ou o playboy que faz selfie no Outback pra por nas redes sociais.

Se você for num dos fóruns de leitura, o covil dessas criaturas vaidosas, não cometa jamais o erro de dizer que tem outro hobbie além de ler. Já cometi este equívoco num tópico de apresentação de novos membros, ao que uma das participantes disse “achei curioso você citar essas outras coisitas mais”. Claro, que absurdo, alguém fazendo algo com o tempo livre além de ler, quem pensaria nisso!

E não serve ler qualquer coisa, nem passa por suas cabeçonas que possa haver textos valiosos na internet, tem que ser livro e em papel, você não é puro o bastante para esses sujeitos se preferir a enorme praticidade dos ebooks.

E não é qualquer livro. Como muitos cinéfilos, os bibliófilos seguem a regra do “quanto mais velho e chato, melhor”. Ou pelo menos, melhor para se gabar na sua rodinha de pseudo-intelectuais… Na verdade, a escola ensina isso, que literatura que presta é só Machado de Assis e José de Alencar. E os poucos que gostarem dessa tralha velha vão fazer letras, virar tias gordas de português, e continuar o ciclo, ensinando que “literatura é isso”.
E depois vêm se queixar que “o brasileiro não lê”. Não, seu arrogante, só não lê o que você quer, a sua lista obrigatória. Harry Potter fez mais para ensinar o valor da leitura aos jovens do que qualquer professor de literatura jamais sonhou, assim como Diário de Um Banana, Sr. dos Anéis, Crepúsculo, os livros baseados em games, como os do Assassins Creed…

Se quer uma dica, eu gosto bastante dos livros da série Risoli & Isles, da escritora americana Tess Gueritsen, série policial, o primeiro da lista é O Cirurgião. E não, não é uma literatura fútil e vazia. Em Busca de Wondla também é uma ótima pedida. Eu pretendo dar dicas literárias aqui. As minhas dicas você pode até achar legais, mas, um aviso, podem não te fazer popular naquela rodinha de “caras cabeça” reunidos no Memorial da América Latina (podem até te fazer popular na rodinha de maconha, mas não da fefelech).

Por fim, uma confissão: Ler é uma forma de escapismo. Não lute com isso, você sabe. Pode ser proveitoso, pode te deixar inspirado, provocar reflexão… Mas aquelas páginas podem te deixar desligado por horas. Mas tudo bem, todos merecem…

Padrão
Sem categoria

A wi-fi do shopping: Uma dica

image

Eu odeio a wi-fi do shopping. E do parque, da universidade… Não basta saber a senha. Quando você tenta entrar, o seu navegador é redirecionado automaticamente para página do shopping com um formulário para fazer um cadastro, que pode pedir apenas o seu email, se você estiver com sorte, ou pode pedir o seu nome, cpf, rg, endereço, número da cueca… Não forneça porra nenhuma. Se você frequentemente usa wi-fi pública, crie um email só pra isso. Qualquer email, pode até ser do bol, ou, se você só lembrar disso na hora, você pode usar um email descartável como o 10minutemail, entre pelo 3g, não vai gastar quase nada. No bendito formulário, use este email, e para os demais campos, use a sua imaginação. E mais, instale um aplicativo de VPN fácil de usar e grátis no seu celular ou notebook, como o Betternet ou o Cyberghost. Pronto, pode navegar a vontade sem medo do shopping estar registrando o que você faz.

Padrão