trivialidades

Pula Pirata

satander

Não posto há algum tempo, mas desta vez não é por nenhum problema pessoal ou coisa do tipo, não estou de férias do Computações Anômalas, na verdade, estou trabalhando num novo post especial, da série Qualia, que está sendo escrito com muito esmero, e quero fazer mais um pouco de pesquisa antes de concluí-lo.

Ah, mas quanto à polêmica do Queer Museum, da “exposição pornográfica” patrocinada pelo Santander, com apoio da Lei Rouanet… Só vou dizer duas coisas:

  1. O que eu vejo com a repercussão é um monte de pirata pulando do navio quando chega a vez deles entrarem no barril.
  2. Esse Queer Museum é fichinha perto de uma peça do Zé Celso. Pelo menos algumas das obras faziam sentido.

 

Anúncios
Padrão
filosofia, Humano, Política, sociedade

“Arte” Moderna: Um Infiltrado Entre As Bacantes

bacantes pepe

Como já narrei, agora faço um curso de história em uma universidade brasileira (que por aqui chamo Universidade de Gothan). O curso não é sem prazeres, mas também não é sem moléstias, e uma delas é a cota de horas de atividades complementares que todo aluno é obrigado a fazer até a graduação, atividades que podem incluir peças teatrais.

Vi que estava em cartaz a peça Bacantes de Eurípedes no Teatro Oficina em São Paulo. Cinco horas e meia de peça. Eu já esperava ser uma merda, mas cinco horas e meia me ajuda bastante a bater a minha cota. Fui à peça. E não me enganei, é uma bosta retardada mesmo. Mas não me arrependi, valeu pelas horas. E por este post.

O meu integrador acadêmico, o Lamar, é um esquerdista pós-modernista e já se disse fã do Zé Celso. Então é claro que não serei louco de falar mal da peça no relatório. Mas tenho vontade de falar mal. Então, farei uma espécie de caixa-dois: Aqui no blog, vai minha verdadeira opinião. Para o senhor Lamar, vou escrever o que ele quiser ler. E ainda vou escrever completamente bêbado.

Continuar lendo

Padrão