geek, Segurança e Privacidade

Segurança em Celular e Autenticação em Duas Etapas

sms-of-surveillance-system_318-52685

https://blog.kaspersky.com.br/gsm-hijacking/6150/

Este post do blog do Kaspersky é interessante, mas os nomes e detalhes técnicos são bastante espinhosos, provavelmente não vão fazer muito sentido para quem não é especialista em criptografia, eu por exemplo não sou especialista, no máximo um autodidata dedicado.

Mas a conclusão final não é difícil de entender: Não é seguro, as suas chamadas e mensagens não são protegidas com chaves às quais o servidor (ou melhor, a operadora) não tem acesso. Apesar de ser relativamente caro e difícil, requerendo uma espécie de torre de celular falsa perto do local onde está o dono do celular, não é impossível interceptar o sinal de um celular (ataque man-in-the-middle), descobrir a chave de autenticação do usuário com criptoanálise, e realizar ataques, tais como se passar pelo dono do celular, ouvir conversas ou ler mensagens trocadas por aquele número.

Isto não é exatamente um defeito do sistema: A falha é um backdoor proposital dos engenheiros que elaboraram o sistema GSM, para que as operadoras pudessem obedecer pedidos de grampo por autoridades. Todo backdoor feito para ser usado legalmente também pode ser usado ilegalmente, e se o governo tem acesso por motivos que todos julgaríamos legítimos, também tem acesso para qualquer coisa. Se for com a ajuda da operadora, é trivialmente fácil: Ela pode literalmente mandar um sinal mandando o celular desligar a criptografia, e o usuário nem fica sabendo, não em modelos novos.

Quando Glenn Greenwald foi falar pela primeira vez com Laura Poitras, no restaurante de um hotel, sobre a fonte misteriosa que tinha entrado em contato com eles oferecendo um vazamento bombástico de segredos de governo (que depois ele descobriria ser Edward Snowden), Laura, melhor informada, pediu para que ele desligasse o celular e tirasse a bateria, ou o deixasse no quarto de hotel. Não era paranoia.

Todas as vezes que foi anunciado que o Telegram foi hackeado, principalmente em países ditatoriais, como o Irã, o que aconteceu na verdade foi que o número do celular, por padrão a única forma de autenticação do Telegram, foi clonado. É uma ótima ideia criar uma senha para o Telegram também, a chamada autenticação em duas etapas. Não use uma senha ridícula, e se estiver trocando informações extremamente sigilosas e comprometedoras, dispense a nuvem, use apenas o chat secreto, ou outro aplicativo como o Signal. O WhatsApp, e qualquer aplicativo de mensagem que também exige apenas sms de confirmação, também pode sofrer um ataque deste tipo sem problema algum.

Falando em autenticação em duas etapas, vários serviços, incluindo Google, Facebook, Microsoft e WordPress, oferecem este incremento de segurança, as duas etapas seriam a senha e um sms para o seu celular… Que como vimos não é exatamente a coisa mais segura do mundo. Sem falar que muitas vezes as mensagens demoram pra chegar, ou nem chegam. O melhor é você trocar a opção de segunda etapa com SMS por segunda etapa com Google Authenticator. É um aplicativo grátis, tem para todos os sistemas operacionais, veja como instalar e usar o Google Authenticator, ou outro autenticador de sua escolha. Pode ser no celular mesmo, no PC ou Notebook, ou, melhor ainda, se puder, em algum dispositivo que não saia da sua casa e que você não usa muito (um celular ou tablet velho é uma ótima pedida). Ele funciona gerando um código de 6 dígitos como senha descartável para cada acesso do serviço em um novo dispositivo, similar ao token que alguns bancos oferecem ao usuário. Por exemplo, se você comprar um celular novo e for entrar no Facebook nele pela primeira vez, vai pedir a senha do Authenticator.

A Apple também oferece este tipo de verificação em duas etapas, via Google Authenticator, sms, e, apenas para sistemas compatíveis com iOS 9, OS X El Capitan ou superior, um sistema de autenticação em duas etapas próprio, que eles chama de autenticação de dois fatores, em que a senha secundária é informada em dispositivos da Apple que você já tenha.

Mais detalhes:

O que é a autenticação de dois fatores e como usá-la? | Nós …

Verificação em duas etapas do Google

Autenticação de dois fatores do ID Apple – Suporte da Apple

Verificação de duas etapas para o ID Apple – Suporte da Apple

Verificação em Duas Etapas – Microsoft Community

 

 

Anúncios
Padrão
Aplicativos, gadgets, geek, Imagem e Vídeo

Dica: Universal Media Server

Talvez um dos maiores empecilhos para assistir vídeos do computador na televisão seja mobília. Ou seja, o PC ou Notebook ficam longe da TV da sala ou nem fica no mesmo cômodo, e o cabo HDMI não é uma opção, ou pode não ser conveniente (ficar na passagem, correndo o risco de alguém tropeçar). Ficar passando filmes do pendrive pra TV é chato e demorado, algumas TVs, especialmente as mais antigas, não são compatíveis com todos os formatos, e alguns modelos (em especial da marca Sony) não tocam legendas externas.

A solução é transformar o seu PC num servidor de mídia, um servidor DLNA, para acessar seus vídeos no PC da TV, navegar por eles com controle remoto. Qualquer Smart TV fabricada nos últimos 2 ou 3 anos terá esta função, e mesmo as mais antigas, contanto que esteja ligada na mesma rede (wi-fi ou cabo) que o computador. Se a TV for mais antiga e não tiver suporte a DLNA embutido, ou nem for smart (ou for só um monitor), você também pode ligar um Chromecast nela, ou um Amazon Fire TV, Roku, ou mesmo um Blu-ray player, assim obter funções Smart sem ter que trocar de TV.

Só o que você precisa no computador é um programa, e o melhor que existe é um freeware chamado Universal Media Server (UMS). Provou-se muito superior à todas as alternativas que testei (inclusive os famosos Plex e Serviio). Eles mesmos fornecem uma lista de características que o programa tem e os concorrentes não, se quiser checar, mas eu recomendo não com base nesta lista, mas por uso meu e na casa de amigos, que ficaram bastante satisfeitos por ser tão eficiente e descomplicado.

Multiplataforma (Windows, Linux e Mac) e oferece instalação e configuração inicial mais intuitivas possíveis. Acrescenta legenda automaticamente, só deixar na mesma pasta do vídeo com o nome exatamente igual, menos a extensão, que na legenda é srt ou sub. A sua TV deve encontrar sem demora nas opções de fontes de vídeo. Existem várias configurações avançadas, mas provavelmente você nem precisará mexer nelas. O programa também é compatível com Playstation 3 ou 4, e Xbox 360 e One. Veja a lista completa.

Freeware de verdade, não tem nenhum modo premium, e baixando do próprio site do desenvolvedor, que eu estou colocando logo abaixo deste parágrafo, não vem com nenhum adware ou outro malware embutido.

http://www.universalmediaserver.com/

Observação: Infelizmente, não funciona com Apple TV, que não é compatível com DLNA nem Miracast, só com o sistema próprio da Apple. Ou pelo menos não com facilidade, plug-and-play. Se você quiser ver filme com legenda num Apple TV, a opção é gravá-las no filme (hardcoded) fazendo um novo arquivo, com um programa como o Handbrake, que também é freeware, e depois adicionar à biblioteca do iTunes. Parece que no Amazon Fire TV também não é tão simples fazer funcionar com um servidor DLNA como o UMS.

Observação 2: Se a sua TV não for smart mas você quiser funções smart com um aparelho ligado via HDMI, mas sem gastar muito, fuja daquelas Google TVs ou Android TVs vagabundas vendidas no Mercado Livre, as mais baratinhas, que vem com Android 4.x. A melhor opção econômica sem dúvida é o Chromecast.

Padrão
Empresas, Empresas, geek, Segurança e Privacidade, Sem categoria

A Apple é Ruim?

image

Antes de ler aqui, recomendo assistir este vídeo do Nerdologia: https://www.youtube.com/watch?v=WzYXU2b_6cM

É verdade, as empresas não são sua família nem suas amigas, e nem acho que seja papel delas serem. Mesmo assim, acho que empresas, como pessoas, possuem pontos positivos e negativos, e a Apple não é diferente. Cada usuário deve avaliar friamente estes pontos positivos e negativos quando vai escolher sua máquina.

O que a Apple tem de ruim acho que a maioria das pessoas já sabem: Subcontratam legiões de funcionários chineses em condições de semiescravidão para fabricar seus aparelhos, praticam, em sua própria sede, assédio moral, dentre outras práticas condenáveis (o próprio Steve Jobs era fã disso, típico chefe que ninguém suporta), cobra preços altíssimos por aparelhos simplesmente pela marca, seus sistemas operacionais são limitadíssimos, não dão liberdade ao usuário…. Eles até usam padrões estranhos de parafuso em seus dispositivos para dificultar o trabalho de assistências não autorizadas. A lista é longa.

Mas será só isso?

Eu vou dizer que realmente não acho que valha a pena ter um iPhone ou um iPad, para quase nenhum perfil de usuário. Neste caso, realmente, trata-se simplesmente de pagar caro pela marca. O sistema é muito limitado, não é possível nem mesmo trocar arquivos livremente por USB com o PC, instalar aplicativos da fonte que você quiser (a não ser que você faça um jailbreak, que é arriscado e invalida garantia). Até pouco tempo atrás, não sei se ainda é assim, não dava nem para trocar arquivos com Bluetooth com outros celulares, porque Steve Jobs estava mais preocupado com proteger direitos autorais do que permitir mais liberdade de uso aos seus clientes. Ah, acredita que no Telegram para iOS os canais de pornografia são censurados?

Quanto aos computadores iMac e MacBook, estes realmente valem a pena. Porque o hardware é de altíssima qualidade, durável, demora para ficar obsoleto, e o macOS (até pouco tempo atrás chamado OSX) é um sistema operacional Unix sólido, seguro, mas tão livre quanto qualquer Unix. Ao contrário do iOS, pode instalar programas de onde quiser (inclusive piratas), mexer nos arquivos do sistema, ou fazer qualquer coisa, além de possuir suporte a aplicações comerciais como Office, Photoshop, e AutoCAD. Mesmo os jogos, que eram o calcanhar de aquiles do Mac, agora já estão disponíveis em grande número. O preço de um Mac é realmente caro (começando em 7mil reais) por isto eu acho que vale mais a pena comprar um usado, ou mesmo viajar aos EUA comprar um (pasme, sai mais barato). O MacBook é o computador de escolha do hacker Moxie Marlinspike, da Open Whisper Systems, organização que fez o protocolo de mensagens seguras Signal.

Falando nisto, a Apple tem uma reputação muito melhor em proteger a privacidade dos usuários do que Google e Microsoft, chegando até a se recusar a colaborar com o governo americano para quebrar a criptografia do iPhone de uma terrorista, o que não seria possível fazer sem comprometer a criptografia de todos os usuários de iPhone. A Microsoft, em especial, é a pior nesse aspecto, nenhuma empresa ajudou tanto a NSA a quebrar a privacidade dos usuários.

Acusam muito a Apple de praticar a “obsolescência programada”, que é quando as fabricantes deixam de oferecer suporte aos seus aparelhos para forçar os consumidores a comprarem novos. Todas tem um pouco de culpa nisso, e a Apple também, mas não é das piores. Os Macs, iPhones e iPads recebem atualizações por longos períodos, o iPad 2, por exemplo, lançado em 2011, recebeu atualização ainda neste ano para iOS9, não que eu ache que por isto valha a pena comprar um. Acho que uma grande parte das acusações de obsolescência programada é por ignorância técnica. Se um computador de 10 anos atrás roda com lentidão um sistema operacional moderno, isto não se trata de uma conspiração da fabricante para as pessoas comprarem mais, mas simplesmente porque sistemas novos exigem mais memória e poder de processamento para novos recursos. Chega a ser ridículo exigir que ele funcione com o mesmo desempenho de sempre. Algumas fabricantes de Android oferecem suporte por mais tempo que outras (a Samsung é a pior neste sentido), mas a liberdade dos aparelhos feitos para Android significa que você pode instalar roms customizadas e se manter atualizado mesmo após o fabricante abandonar o aparelho.

A segurança é outro ponto forte dos Macs: Como todos sabem, malwares para Mac são raros, e o sistema tem muito poucas brechas que possam ser exploradas por crackers, muito menos que o Windows. É verdade que você pode ter uma segurança parecida usando Linux, que hoje em dia é muito mais fácil do que costumava ser. O problema do Linux para usuários pouco experientes é que quando dá alguma encrenca no Linux, você não tem suporte dedicado, apenas fóruns cheios de caras muito babacas que praticamente vão exigir para você resolver o problema sozinho antes de mexer um dedo para te ajudar (é verdade que o pessoal do Ubuntu é bem mais sipático que a média). Também há muito pouco suporte para aplicações comerciais, e para muitos usuários, as soluções livres não bastam. Em geral, as distribuições Linux não são tão estáveis, bonitas, nem oferecem uma experiência de uso tão agradável quanto o macOS.

Padrão