Aplicativos, Empresas, geek, internet, Segurança e Privacidade

Aviso aos Playstationzeiros: Ative verificação em duas etapas

psn

Três coisas que acontecem todo ano ou quase:

  • Greve dos correios no Brasil
  • Greve dos bancários no Brasil
  • PSN hackeada

E já chegou o hack do ano…Cortesia do mesmo pessoal que vazou os episódios de Game of Thrones. E você achando eles os caras mais legais do universo….

http://adrenaline.uol.com.br/2017/08/21/51399/playstation-e-hackeada-pelo-mesmo-grupo-que-atacou-hbo/

Se você quiser proteger a sua conta, isso não custa nada: Ative a verificação em duas etapas na sua conta da PSN. Como funciona? Simples, registre o seu número de celular na sua conta PSN e ative a verificação em duas etapas, e toda vez que você (ou alguém se passando por você) tentar entrar pela primeira vez num dispositivo com a conta, além da senha padrão, terá de informar uma senha descartável enviada para o seu celular por SMS. Infelizmente, a PSN não é compatível com Google Authenticator e outros aplicativos similares, só SMS, mas já é muito melhor que nada e fornece segurança caso a conta seja roubada por qualquer motivo, sem ter o seu celular, não dá pra acessar. Veja abaixo o link para configurar:

https://www.playstation.com/pt-br/account-security/2-step-verification/


Ver também:

Segurança em Celular e Autenticação em Duas Etapas

Anúncios
Padrão
Aplicativos, Empresas, gadgets, geek

Ebooks e Kindle: Opinião e Dicas de Uso

kindle e cachimbos pb.png

Adoro livros digitais! Sou verdadeiramente viciado neles, adoro ler de tudo em meu Kindle. Tive um Paperwhite por muitos anos, que só recentemente troquei pelo meu Voyage atual, que você vê na foto, o antigo dei para minha mãe.

O público leitor é provavelmente o mais tradicionalista, em questão de consumo de mídia. Os leitores são os que mais fazem questão da mídia física. Dentre as pessoas que gostam de música, só um pequeno nicho é fã de vinis e CDs, a maioria dos ouvintes sempre ouviu música sem fazer a menor ideia de quais tecnologias estavam por trás das ondas sonoras, ouviam no rádio sem se importar se no estúdio a música estava gravada em vinil ou cassete. Com a digitalização do cinema, as locadoras entraram em extinção, e o filme acabou anacrônico, uma vez que as salas de cinema estão usando projetores digitais com filmes gravados em um servidor na sala de projeção, e ninguém ligou pra isso. Mas os livros são outra coisa, o papel é muito estimado. Os leitores dão muito valor às características físicas físicas do objeto que guarda a obra. Todo mundo julga o livro pela capa quando anda entre as prateleiras da livraria. A capa, a textura do papel, a fonte usada para o texto… Os biblófilos torcem o nariz para os ebooks, acham que isto é coisa de leitores casuais que só leem trivialidades, não de quem quer ler coisa séria e entender o texto com profundidade.  Apesar deste preciosismo, os ebooks são populares.

Como é prático! Eu já fiz um post recentemente sobre o livro da minha vida, Os Bons Anjos de Nossa Natureza. E sério, teria sido uma merda ler um livro de mais de 800 páginas na cama com uma lanterna. E como eu compreendo perfeitamente bem o inglês, dou preferência a ler as coisas no original, sempre que posso. É extremamente caro e demorado importar livros de papel do exterior. Com o Kindle, no entanto, compro e o livro é baixado em segundos para o meu aparelho, e por um preço similar, ou até mais barato, do que eu compraria no Brasil. Mesmo que você só queira livros em português, é melhor que ir à livraria só pra comprar o livro, ou encomendar da internet. E também dá pra fazer anotações e grifos sem sujeira. Nunca gostei de fazer isso nos livros por causa da sujeita, mas no Kindle e outros leitores de ebooks, eles são simplesmente arquivos anexos, que ficam salvos na nuvem, e podem ser vistos em outros dispositivos sincronizados. Já escrevi muitos posts aqui abrindo e consultando o programa do Kindle no Windows, com as anotações que fiz no aparelho dedicado.

Outra vantagem é ler definições de palavras durante a leitura na tela do próprio aparelho, sem ter que parar para olhar no celular ou computador e se distrair. Além de consultar a Wikipédia, você pode usar um dicionário. A Amazon oferece dicionários gratuitos, de definições e traduções. O dicionário Priberian português-inglês eu achei bem fraquinho, investi no dicionário Porto, que é melhor. E sem falar de poder carregar toda a sua biblioteca em um aparelho levíssimo, e escolher qualquer um que quiser ler quando estiver fora de casa, o que der na telha.

Continuar lendo

Padrão
Empresas, gadgets, geek, trivialidades

Mini Super Nintendo: Vale à Pena?

h2x1_nintendoclassicminisnes_image912w

Ok, só para variar vou falar de um assunto mais leve aqui, chega de depressão e filosofia, vamos falar de coisa boa: Tekpix  O relançamento do videogame de maior sucesso da Nintendo, o Super Nintendo, em uma graciosíssima versão miniaturizada! O Classic Mini Super Nintendo, ou apenas Mini SNES, com o visual idêntico ao original, virá com os jogos clássicos remasterizados em HD, e certamente todo fã deveria começar a juntar as moedas no cofrinho, o lançamento será em setembro, e por tempo limitado… Ou será que deveria?

Continuar lendo

Padrão
Aplicativos, Empresas, geek, internet

Olhar Analógico

https://olhardigital.uol.com.br/dicas_e_tutoriais/noticia/telegram-traz-recurso-copiado-do-whatsapp-ao-brasil-saiba-como-usar/67458

Recurso “copiado” do WhatsApp. Que vexame, hein, Olhar Digital? Será que quando o WhatsApp lançou as chamadas de voz, o Olhar Digital noticiou que eles copiaram o Skype?

Padrão
Empresas, geek, internet, Segurança e Privacidade

O Que Pensar do Bitcoin?

160504-bitcoin-b

Ouvi falar do Bitcoin pela primeira vez, se não me falha a memória, em 2011, quando conheci a Deep Web, mas só fui saber mais a respeito dele, e tentar usar pela primeira vez, em 2013, na época que o site Silk Road foi fechado e seu suposto dono, Ross Ulbrich, preso. Nesta época ocorriam discussões acaloradas no YouTube entre libertários radicais como Dâniel Fraga, defendendo com entusiasmo a tal “moeda descentralizada revolucionária”, com a qual conseguiríamos derrubar o Estado e estabelecer uma sociedade anarco-capitalista, e YouTubers mais céticos, que ressaltavam os problemas de ordem prática. O maior deles: Não ser uma moeda aceita em lugar algum. E, alegavam, se o governo achar a novidade uma ameaça, pode simplesmente proibi-la. Além de sofrer de inúmeros problemas de segurança.

Continuar lendo

Padrão
Empresas, geek, Política

http://olhardigital.uol.com.br/noticia/quem-foram-os-senadores-que-votaram-pelo-imposto-para-a-netflix-e-o-spotify/64672

Notem a miscelânea de partidos nesta lista… Quando é pela “nobilíssima” causa de arrancar dinheiro do povo, não tem ideologia, estão todos em uníssono.

Link
Empresas, Empresas, geek, Segurança e Privacidade, Sem categoria

A Apple é Ruim?

image

Antes de ler aqui, recomendo assistir este vídeo do Nerdologia: https://www.youtube.com/watch?v=WzYXU2b_6cM

É verdade, as empresas não são sua família nem suas amigas, e nem acho que seja papel delas serem. Mesmo assim, acho que empresas, como pessoas, possuem pontos positivos e negativos, e a Apple não é diferente. Cada usuário deve avaliar friamente estes pontos positivos e negativos quando vai escolher sua máquina.

O que a Apple tem de ruim acho que a maioria das pessoas já sabem: Subcontratam legiões de funcionários chineses em condições de semiescravidão para fabricar seus aparelhos, praticam, em sua própria sede, assédio moral, dentre outras práticas condenáveis (o próprio Steve Jobs era fã disso, típico chefe que ninguém suporta), cobra preços altíssimos por aparelhos simplesmente pela marca, seus sistemas operacionais são limitadíssimos, não dão liberdade ao usuário…. Eles até usam padrões estranhos de parafuso em seus dispositivos para dificultar o trabalho de assistências não autorizadas. A lista é longa.

Mas será só isso?

Eu vou dizer que realmente não acho que valha a pena ter um iPhone ou um iPad, para quase nenhum perfil de usuário. Neste caso, realmente, trata-se simplesmente de pagar caro pela marca. O sistema é muito limitado, não é possível nem mesmo trocar arquivos livremente por USB com o PC, instalar aplicativos da fonte que você quiser (a não ser que você faça um jailbreak, que é arriscado e invalida garantia). Até pouco tempo atrás, não sei se ainda é assim, não dava nem para trocar arquivos com Bluetooth com outros celulares, porque Steve Jobs estava mais preocupado com proteger direitos autorais do que permitir mais liberdade de uso aos seus clientes. Ah, acredita que no Telegram para iOS os canais de pornografia são censurados?

Quanto aos computadores iMac e MacBook, estes realmente valem a pena. Porque o hardware é de altíssima qualidade, durável, demora para ficar obsoleto, e o macOS (até pouco tempo atrás chamado OSX) é um sistema operacional Unix sólido, seguro, mas tão livre quanto qualquer Unix. Ao contrário do iOS, pode instalar programas de onde quiser (inclusive piratas), mexer nos arquivos do sistema, ou fazer qualquer coisa, além de possuir suporte a aplicações comerciais como Office, Photoshop, e AutoCAD. Mesmo os jogos, que eram o calcanhar de aquiles do Mac, agora já estão disponíveis em grande número. O preço de um Mac é realmente caro (começando em 7mil reais) por isto eu acho que vale mais a pena comprar um usado, ou mesmo viajar aos EUA comprar um (pasme, sai mais barato). O MacBook é o computador de escolha do hacker Moxie Marlinspike, da Open Whisper Systems, organização que fez o protocolo de mensagens seguras Signal.

Falando nisto, a Apple tem uma reputação muito melhor em proteger a privacidade dos usuários do que Google e Microsoft, chegando até a se recusar a colaborar com o governo americano para quebrar a criptografia do iPhone de uma terrorista, o que não seria possível fazer sem comprometer a criptografia de todos os usuários de iPhone. A Microsoft, em especial, é a pior nesse aspecto, nenhuma empresa ajudou tanto a NSA a quebrar a privacidade dos usuários.

Acusam muito a Apple de praticar a “obsolescência programada”, que é quando as fabricantes deixam de oferecer suporte aos seus aparelhos para forçar os consumidores a comprarem novos. Todas tem um pouco de culpa nisso, e a Apple também, mas não é das piores. Os Macs, iPhones e iPads recebem atualizações por longos períodos, o iPad 2, por exemplo, lançado em 2011, recebeu atualização ainda neste ano para iOS9, não que eu ache que por isto valha a pena comprar um. Acho que uma grande parte das acusações de obsolescência programada é por ignorância técnica. Se um computador de 10 anos atrás roda com lentidão um sistema operacional moderno, isto não se trata de uma conspiração da fabricante para as pessoas comprarem mais, mas simplesmente porque sistemas novos exigem mais memória e poder de processamento para novos recursos. Chega a ser ridículo exigir que ele funcione com o mesmo desempenho de sempre. Algumas fabricantes de Android oferecem suporte por mais tempo que outras (a Samsung é a pior neste sentido), mas a liberdade dos aparelhos feitos para Android significa que você pode instalar roms customizadas e se manter atualizado mesmo após o fabricante abandonar o aparelho.

A segurança é outro ponto forte dos Macs: Como todos sabem, malwares para Mac são raros, e o sistema tem muito poucas brechas que possam ser exploradas por crackers, muito menos que o Windows. É verdade que você pode ter uma segurança parecida usando Linux, que hoje em dia é muito mais fácil do que costumava ser. O problema do Linux para usuários pouco experientes é que quando dá alguma encrenca no Linux, você não tem suporte dedicado, apenas fóruns cheios de caras muito babacas que praticamente vão exigir para você resolver o problema sozinho antes de mexer um dedo para te ajudar (é verdade que o pessoal do Ubuntu é bem mais sipático que a média). Também há muito pouco suporte para aplicações comerciais, e para muitos usuários, as soluções livres não bastam. Em geral, as distribuições Linux não são tão estáveis, bonitas, nem oferecem uma experiência de uso tão agradável quanto o macOS.

Padrão