ceticismo, farsas, filosofia, história, Humano, política, sociedade

Pós-Verdade é uma Nova Mentira

catch-me-if-you-can

Ou será tão nova? A palavra composta certamente é, junto do termo “fatos alternativos” empregado pelo departamento de marketing de Trump para tentar justificar sua visão das coisas, por exemplo, a posse de Trump, que segundo estatísticas confiáveis, teve muito pouco público, mas para Trump, teve muito, e isto é um fato alternativo, não uma mentira. Mas o meme para mim é velho, com eufemismo novo.

Primeiramente, gostaria de deixar claro que escrevo este post, e todos os demais, partindo de uma premissa que julgo razoável, necessária, e auto evidente:

“Existem fatos que todas ou quase todas as pessoas mentalmente sãs e inteligentes concordam, quando julgando de maneira fria, impessoal e desinteressada. Estes fatos são verdadeiros, são verdades objetivas, e apesar de não ser fácil, não é impossível obter estas verdades, julgando de maneira fria, impessoal e desinteressada, no interesse apenas da verdade.”

Para mim isto é uma obviedade. Se você não concorda, então por gentileza saia do meu blog e volte a entulhar sua mente com Foulcault, Baudrillard e seus asseclas.

Os eventos políticos mais importantes de 2016, o Brexit e a eleição de Trump, vistos como exemplos tragicamente explícitos da irracionalidade das massas, fizeram muitos se perguntarem se acabou a era da objetividade e da razão, se agora já não entramos numa era em que cada um tem sua verdade particular condizente ao próprio gosto, e o mercado, sempre atento aos caprichos de seus clientes, vende fatos que a clientela quer, como sintetiza William Davies, um colunista do The New York Times, falando sobre os institutos de pesquisas, sempre apresentando as estatísticas que o cliente quer. William Davies deixa claro que tendência já começou há muito tempo, apesar de ter se intensificado tremendamente com a anarquia das redes sociais. O “vendedor de estatísticas” mais infame do Brasil provavelmente é o Datafolha, também conhecido como Datafalha, por suas estimativas estapafúrdias sobre números de participantes em manifestações. O número da PM é sempre muito diferente. Então, em quem acreditar? Se eu tiver um relógio em cada pulso, cada um marcando um horário diferente, eu jamais saberei dizer que horas são.

A enxurrada de informações que escoam diariamente das redes sociais (e escoam sem muito tratamento de esgoto), a montanha cada vez mais crescente de informações com pouco ou nenhum embasamento, e a alta seletividade (mas não do tipo bom, cético) das pessoas, que cada vez mais se fecham em bolhas de opiniões similares às próprias, estariam nos levando rapidamente a um mundo sem verdades e sem mentiras, somente com “fatos” de valor puramente subjetivo, vendidos à granel? Como naquela citação atribuída a Nietzsche, “não existem fatos, somente interpretações”.  Terá o jogo Metal Gear Solid 2 (de 2001, quando redes sociais ainda eram praticamente irrelevantes) sido realmente profético ao prever que a ampla oferta de informação de má qualidade é uma conspiração para fazer o mundo cada vez mais burro?

Continuar lendo

Anúncios
Padrão
ceticismo, farsas, filosofia, Humano

Pós-Modernismo: Para quem ainda não entendeu

Meus colegas do Universo Racionalista fizeram um novo post excelente alertando sobre este movimento “filosófico” embusteiro:

http://www.universoracionalista.org/a-farsa-intelectual-dos-pos-modernos/

Só tenho a lhes parabenizar pelo ótimo serviço. Vou trazer mais uma vez uma de minhas citações favoritas de filme, do Lucy: “Conhecimento não leva ao caos, ignorância leva.” Os charlatões pós-modernos aproveitam-se de da ignorância generalizada sobre ciência para tecer suas teorias obscurantistas que só causam ainda mais confusão. Aproveitar-se da ignorância alheia para obter vantagem (são todos contra o capitalismo, mas lucram horrores com seus livros e palestras) é a definição legal de estelionato, e em ciências, chama-se isso de má-fé ou desonestidade intelectual.

Recomendadíssimo também:

https://www.universoracionalista.org/a-quem-incomoda-o-atual-criticismo-ao-pos-modernismo-simples-a-quem-tem-medo-da-ciencia-da-razao-e-do-cientificismo/

https://www.universoracionalista.org/anticiencia-do-seculo-xv-aos-pos-modernos/

Padrão
ceticismo, farsas, filosofia, saúde, sociedade, vídeos

Por Quanto Tempo Uma Mentira Pode Se Manter?

pinoquio

Resposta curta: Por tempo indeterminado.

Resposta longa:

http://oglobo.globo.com/sociedade/saude/eua-determinam-que-homeopaticos-alertem-consumidores-sobre-falta-de-comprovacao-cientifica-20523143

Quando vi esta notícia de que nos EUA será obrigatório os remédios homeopáticos informarem no rótulo que não tem eficácia cientificamente comprovada, só pude pensar “antes tarde do que nunca”.

Homeopatia é pseudociência, pura e simplesmente. Não passam de placebos. A homeopatia se manteve alardeando termos obscuros como “memória da molécula de água” e “igual cura igual”. Fez muito sucesso quando foi inventada por um cientista alemão do século XVIII, uma época em que a medicina era uma coisa horrenda, e médicos frequentemente prescreviam medicamentos com chumbo ou mercúrio, que frequentemente não tinham eficiência nenhuma e faziam a pessoa se sentir muito mal. Os homeopáticos, pelo menos, não fazem as pessoas se sentirem mal. Mas não tem nenhum efeito fisiológico cientificamente comprovado.

Como a “mágica” funciona? As pessoas se sentem bem simplesmente sentindo que estão recebendo atenção e tratamento de um profissional, e querem se sentir bem. O humor e a moral influenciam a saúde. Eu já me tratei com homeopatia no passado. A médica era praticamente uma psicóloga, ouvia detelhadamente os meus problemas e aflições, e a consulta com o homeopata em geral é muito mais longa do que seria com um clínico geral. Quanta gente não se queixa de que foi ao médico, seja pelo SUS ou pelo convênio, e o médico nem olhou para sua cara antes de passar a receita? Não é tão difícil entender a popularidade dos homeopatas. Mas nem por isso deixa de ser um placebo o que eles dão.

Meu conselho é: Se você precisa de um psicólogo, vá a um psicólogo. Você não precisa ser enganado para melhorar o seu estado emocional.

Já houve estudo nos EUA, com pessoas que sofrem de síndrome da bacia irritável, tentando provar que placebos são melhores que tratamento nenhum e surtem efeitos, mesmo quando os pacientes sabem que o que estão tomando é placebo. Pareceu interessantíssimo a princípio, e foi alardeado na mídia e na blogosfera. Mas tinha um pequeno detalhe: Antes dos testes começarem, os pesquisadores conversaram com todos os voluntários a respeito das propriedades “milagrosas” do efeito placebo, exageraram até o limite os supostos efeitos curativos dos placebos, usando e abusando dos termos “interação mente-corpo” e “auto-cura psicossomática” (tradução livre). Mesmo o anúncio para a pesquisa, em folhetos e jornais (nos EUA voluntários de pesquisa podem ser pagos para a tarefa) alardeavam “um novo estudo de gerenciamento de mente-corpo pela IBS”. Some-se isso ao fato de que a melhora dos pacientes que receberam placebo não foram tão superiores assim em relação aos que não tomaram nada, e os critérios foram todos subjetivos, e a tal pesquisa no final não acrescentou nada ao que já se sabe sobe placebos.

Alguém poderia dizer que homeopatia existe e é praticada desde o século XVIII, não podemos dizer que não funciona.O mesmo costuma ser dito a respeito da medicina chinesa, existente há milhares de anos. Claro, a humanidade conhecia várias propriedades medicinais de certas substâncias muito antes da farmacologia moderna, mas quando as pesquisas sérias começaram, os cientistas estudaram estas curas tradicionais e avaliaram quais delas realmente faziam alguma coisa e descobriram como exatamente isto funcionava (por exemplo, no século XIX foi isolado o ácido acetilsalicílico da casca do salgueiro, que desde a antiguidade se sabia que ajuda a curar dores de cabeça) e o resto acabou-se descobrindo que não passavam de crendices.

É, uma mentira pode durar muito tempo, e não só em questões de saúde.

Até hoje ouço comentários antissemitas baseados no fato de que se os judeus eram odiados e frequentemente banidos (pogrons) durante toda a Idade Média, e ainda hoje são odiados por todo o oriente médio, logo eles devem ser ruins mesmo, difícil acreditar que todos os outros é que estavam errados. Argumento idiota. Os judeus sempre viveram em guetos, isolados dos lugares onde viviam os cristãos (mesma coisa no mundo islâmico) e a maioria das pessoas só procuravam um judeu quando precisavam de um médico, ou quando queriam dinheiro emprestado, algumas das maneiras que eles tinham de ganhar a vida não podendo possuir terras. Ou seja, não conviviam com eles, não frequentavam os mesmos ambientes, só conversavam quando muito necessário.

É fácil criar mitos sobre grupos de pessoas quando não se convive com elas, só se conhece caricaturas. estereótipos, dos membros deste grupo; é notável que as pessoas que convivem com pessoas diferentes diariamente são menos preconceituosas. Na Idade Média também acreditavam que os judeus usavam sangue de cristãos para todo tipo de ritual, algo chamado blood libel, até mesmo para se curar, ou seja, eram vistos como vampiros usurários (pessoas que ganham a vida emprestando dinheiro à juros sempre foram detestadas). E, como tinham hábitos higiênicos melhores, poupavam-se dos surtos de cólera tão frequentes na Idade Média, o que as pessoas entendiam como prova de que os judeus tinham pacto com o demônio. A noção da realidade das pessoas é muito mais resultado das crenças de seu grupo do que de fria análise racional.

Portanto sim, existem n maneiras para uma mentira ser mantida indefinidamente. Algumas das que são contadas mais frequentemente são “li e aceito os termos do serviço”, “deus existe” e “os números não mentem”.

Mais referências:

http://falaciasonline.wikidot.com/apelo-a-tradicao

 

Padrão
farsas, saúde

Glúten

pao

Uma dica para você, e eu consultei uma médica antes de escrever, e uma médica que se preocupa muito com nutrição, diga-se de passagem:

Dieta “gluten free” ou livre de glúten é útil APENAS se você for alérgico a glúten. Apenas neste caso, começa e acaba aí. Glúten não faz mal algum para quem não é alérgico, a história de que faz mal e deve ser evitado por todos é mito.

Se for fazer uma dieta para melhorar sua saúde ou emagrecer, faça outra.

Padrão
farsas, filosofia, internet, sociedade

Farsas – Esquema de Pirâmide/Marketing Multinível

image

Este post é absolutamente necessário, pois eu acho que, apesar de haver bastante informação sobre esquema de pirâmide (o blogueiro e youtuber Izzy Nobre fez um ótimo trabalho em informar o público sobre essa farsa) ainda não é suficiente, visto que os esquemas de pirâmide ainda existem, movimentam milhões de dólares e levam pessoas à ruína.

O que é esquema de pirâmide

Pirâmide é um esquema fraudulento em que uma organização ganha dinheiro exclusivamente ou principalmente com pagamentos de membros novos. Nada de valor é criado. Sob qualquer interpretação, é uma atividade econômica não produtiva. O dinheiro flui verticalmente, com membros novos (base da pirâmide) pagando membros antigos, que pagam membros mais antigos… Os golpistas que fundam a organização são o topo da pirâmide. Estes recrutam (o verbo é este mesmo) novos membros, que pagam uma taxa de adesão, e têm obrigação de pagar uma parte do que ganham para os do topo da pirâmide. E como ganham? Esta segunda geração de membros recruta novos membros, subordinados, que pagam a eles, que pagam uma parte para o topo…

Notou um problema? É, vou repetir, nada de valor é criado, nenhum produto ou serviço novo é criado, o dinheiro simplesmente flui de baixo para cima. Apenas os fundadores e os primeiros membros recrutados se dão bem. Quando este esquema começou, normalmente era anunciado como uma espécie de clube de investimento milagroso; uma mentira, nada é investido, o dinheiro simplesmente troca de mãos até o topo, e cada camada é mais pobre do que a anterior. A esmagadora maioria das pessoas que entram no esquema acabam mais pobres do que quando começaram.

E não é preciso ser gênio da matemática para notar que o esquema está  fadado a quebrar, pois vai chegar um ponto em que não tem mais gente para entrar na base e sustentar os de cima, é uma progressão geométrica, depois que a pirâmide chega a certo ponto, são necessárias mais pessoas na base do que habitantes do planeta Terra. E quando quebra, o pessoal do topo, que se deu bem, vai “sumir”. É um modelo de negócios não sustentável.

image

 

Marketing multinível é o mesmo que esquema de pirâmide

Não demorou muito para que esquemas de pirâmide fossem proibidos por lei. Mas os malandros usaram a tática mais antiga do mundo para divulgar uma mentira quando ela já se tornou conhecida: Mudaram algum detalhe e trocaram de nome. Não é diferente dos cretinos que insistem em divulgar criacionismo com o nome pomposo “design inteligente”, que é o mesmo criacionismo, mas travestido de ciência.

A tática foi inserir um produto para legitimar a atividade, e, portanto, eles estão gerando uma coisa de valor e não são um esquema de pirâmide. Só que não.

Quando você for ver, o valor vindo da venda de produtos para pessoas que não pertencem à organização é insignificante. A grande parte do lucro vem do pagamento de membros novos aos membros antigos. O produto é um engodo, e quase todas as vendas são feitas entre os próprios membros. Quando o cara entra no esquema, compra um kit do recrutador, que deverá tentar vender, e quase nunca consegue vender.

É notável também que os tais produtos fatalmente são coisas esquisitas que ninguém precisa, e por isso mesmo é tão difícil vender, e o único jeito do cara ganhar dinheiro é recrutando. O exemplo que ficou mais famoso aqui no Brasil é o Telexfree (que é mais ou menos um Skype ligado a um esquema de pirâmide). Quando a Telexfree foi interditada no Brasil, por ordem judicial, ninguém, simplesmente ninguém, reclamou que ficou sem poder usar o tal programa. Porque ninguém usava.

Outro exemplo famoso é o shake diet da Herbalife. Essa dieta é praticamente o mesmo que um jejum, o sofrimento é idêntico, mas com o mínimo de nutrientes necessário para ficar vivo. Também é digno de nota que produtos similares são encontrados à venda em qualquer loja de produtos “natureba”, vegan e em farmácias de manipulação, mas à preços muito mais baratos, porque os fabricantes não são MMN.

Zumbis

Se você leu os meus posts sobre o que é um culto, verá que as empresas de marketing multinível encaixam muito bem na definição. Que fique claro, participar de MMN não é o mesmo que estar em um emprego mal-pago: Mesmo que você trabalhe por um salário mínimo, você está ganhando alguma coisa, ninguém trabalharia de caixa do Mac Donalds pra perder dinheiro, ganha pouco, mas ganha. Só que quase todo mundo no MMN perde, e continua no esquema só pra tentar recuperar o prejuízo, algo similar com o que acontece com jogadores compulsivos que não saem da mesa porque ainda tem a esperança de recuperar o que foi apostado.

E as empresas de MMN investem pesado em palestras motivacionais, material de autoajuda e coisas similares para fazer dos membros verdadeiros zumbis que defendem a organização que os explora com unhas e dentes, e se tornam pessoas insuportáveis para seus amigos e familiares, pois estão o tempo todo tentando recrutar todo mundo para o esquema.

Por regra geral, as empresas não ganham dinheiro pelo número de funcionários, mas pelo valor que estes funcionários geram. Qualquer organização que tente desesperadamente ganhar o maior número possível de membros é fraudulenta. Bandeira vermelha se eles tentarem desesperadamente te “recrutar” mesmo você não possuindo nenhuma qualificação e nem experiência no ramo.

Os zumbis adoram apontar que várias pessoas se deram bem participando da sua organização, que ficaram ricas. Como eu disse, algumas pessoas, uma minoria, fica rica, o que absolutamente não diz nada sobre a legitimidade da organização. O meu pai tem 67 anos e fuma desde os 15, nunca teve câncer nem infartou. O que não muda absolutamente nada o consenso científico de que fumar faz mal.

O fato é que pirâmides são um bilhete de loteria muito caro. E ao contrário dos bilhetes de loteria, a maioria das pessoas já entram sem chance nenhuma de ganhar. A regra sagrada de Las Vegas – mais do que “o que acontece em Vegas fica em Vegas – é “a casa sempre ganha”. E no caso das pirâmides, a casa são os malandros que começaram o esquema.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Esquema_em_pir%C3%A2mide

http://hbdia.com/dossie-hbd/perca-dinheiro-ja-pergunte-me-como/

https://youtu.be/Ne6p_gGlgcM

https://youtu.be/dyuN-xUdCG4

https://youtu.be/ByLaIrLzUJE

UPDATE:

Escrevi este post meses atrás. Hoje o Izzy Nobre postou mais um vídeo sobre o assunto, visto que todo dia perguntam pra ele se x é esquema de pirâmide. Se nem com o meu post você entendeu, fica a dica:

Resumo do vídeo: Se parece pirâmide, é porque é pirâmide, cai fora.

Sério, os esquemas de pirâmide/MMN são tão convincentes como oportunidades de negócio legítima quanto um travesti de esquina é convincente como mulher.

Padrão