filosofia

Vamos falar de Cachimbo

Aviso: Este post é voltado exclusivamente ao público adulto

Se você, como vários amigos meus, é um desses fumantes de cigarro que tentam parar mas não conseguem de jeito nenhum, eu lhe pergunto: Já pensou em mudar para o cachimbo? Experimente, esqueça os cigarros, e no final do dia, preencha e fume um cachimbo. Algumas pessoas veem este hábito como sendo tão estranho, antiquado, complicado, e caro que nem consideram a opção. Meros preconceitos. Mas fumar cachimbo não é mais caro que cigarro, e não tão complicado quanto pensam. E antiquado não: Clássico.

Faz menos mal? Vicia também?

É bom ressaltar que fumar faz mal, de qualquer forma, e se você não fuma, convém não começar, nem cachimbo. Há poucos estudos voltados aos males do fumo de cachimbo especificamente, pois quando os estudos sobre os males do tabagismo começaram, o cachimbo já estava fora de moda. Mas é fato que a fumaça do cachimbo (como a do charuto) não é tragada, isto é, inalada até os pulmões, mas apenas degustada. É claro isto faz mal para a boca, e predispõe o fumante a ter câncer oral (como o que Sigmund Freud teve ao fim da vida) e uma parte da fumaça você vai acabar respirando de todo jeito, tanto quanto um fumante passivo, mas certamente não vai fazer tão mal quanto a do cigarro. Mas este post é especialmente voltado aos fumantes de cigarro. Já fui fumante de cigarro, anos atrás. Hoje fumo só cachimbo (e charutos ocasionalmente) não tenho aquela bronquite fortíssima que tinha com o cigarro, nem a falta de ar. A fumaça do cachimbo entrega nicotina mesmo assim, e bastante, pois a fumaça do cachimbo é muito mais alcalina que do cigarro, sendo facilmente absorvida pela boca, mas de uma forma muito mais lenta.

A relativa lentidão da entrega de nicotina pelo cachimbo é provavelmente o motivo dele viciar muito menos que cigarro (o tempo entre estímulo e a percepção de recompensa é um dos fatores que determinam o vício, algo bem conhecido pela psicologia). Vicia um pouco sim: Eu dificilmente passaria um dia sem fumar cachimbo, não ia gostar. Mas não é aquela loucura do cigarro de toda hora ter que sair do lugar em que você está para fumar, e procurar os cada vez mais raros espaços para fumantes, o que é tremendamente inconveniente. Mas ainda pode dar a desculpa de sair para fumar quando quiser mesmo sair de onde está.

O que comprar?

Primeiro, evidentemente, o cachimbo:

tipos_cachimbo

Eu pessoalmente gosto mais dos modelos Bent e Full-bent, que ficaram famosos pelo personagem Sherlock Holmes. Mas vai do gosto do freguês. Há diversas marcas, mais caras e mais baratas, e com diferentes acabamentos. Eu gosto daqueles de acabamento mais rústico, enrugado. Os muito lisos e envernizados podem fazer bolhas com o calor. Se você pretende fumar fora de casa, também prefira um menor, que caiba no bolso das suas calças. Cachimbos mais leves são também mais fáceis de manter na boca sem segurar, por exemplo, enquanto se dirige, o que, na minha opinião, é bem menos perigoso que dirigir fumando cigarro, pois não corre-se o risco de voarem brasas ou cinzas em si mesmo, nem se fica com bitucas para jogar na pista, e tomar multas. Mas ainda não é recomendável.

Além disso, você precisa de uma ferramenta de cachimbo:

du-3in1-cachimbo-ac3a7o-inoxidc3a1vel-cleaner-ferramenta-de-limpeza-reamers-tamper-frete-grc3a1tis

Como pode ver, ela tem três partes: a pá, que serve para limpar o excesso de cinza do fornilho, o “espeto”, que é para desentupir, e o socador, que é para apertar o tabaco. Falando em tabaco, você precisa escolher dentre uma das marcas. E não se encontram muitas nas tabacarias, infelizmente, pois é um hábito de poucos. Mas geralmente tem da marca Captain Black, que é de excelente qualidade, porém caro demais, especialmente para quem fuma cachimbo diariamente, como eu. Há vários sabores de Captain Black. Ao contrário do que acontece com o cigarro, as cores de embalagens de tabaco para cachimbo não indicam um tabaco mais forte ou mais fraco, altos ou baixos teores, apenas sabores diferentes. Vou deixar vídeos ao final do post explicando as diferentes variedades existentes e marcas disponíveis. Do Captain Black, eu só não gosto muito do azul marinho, que é muito úmido, o que atrapalha a queima, o dourado eu amo. Dos nacionais, o meu favorito é o Irlandez (com z mesmo), principalmente o neutro, de embalagem branca e azul, do achocolatado gosto menos.

E por fim, você vai precisar de um cinzeiro. Alguns especiais vem até com um apoio para o cachimbo. Mas a princípio, um cinzeiro normal serve. Eu gosto de manter sobre a minha mesa uma tigelinha, na qual deixo meus cachimbos apoiados.

Como fumar

Tenha uma superfície à sua frente, de preferência. Abra a embalagem, e cheire o conteúdo, o aroma é parte da experiência. Pegue tufos de tabacos com os dedos e preencha o fornilho. Com a embalagem recém aberta, o tabaco provavelmente estará muito duro, solte-o um pouco com ajuda dos dedos. Se preferir, pode usar o cachimbo para dar uma colherada no tabaco, dentro da embalagem, faz menos sujeira assim. Mas não tenha a ilusão de que não haverá qualquer sujeira na mesa do cachimbo. Com o socador, prense bem o tabaco. Então, preencha o espaço que ficou vazio, e prense com o socador mais uma vez. Se achar que ainda está muito vazio, pode repetir o processo uma terceira vez, mas não precisa encher até o topo. Segure o fornilho, leve o bucal à boca, e sem acender ainda, sugue. Você deve conseguir puxar o ar sem resistência. Se houver resistência, é porque deve estar entupido, e assim não vai queimar bem, então desencaixe o bucal do fornilho, e espete o orifício para desentupir. Se ainda assim estiver difícil, deve estar muito sujo, aí você vai precisar de um escovilhão, o famoso limpador de cachimbo. Mas isso não deve acontecer com um cachimbo novo. Não há nada mais frustrante que um cachimbo entupido! Ou melhor, só há uma coisa mais frustrante: Pós-modernismo.

Para acender, use fósforos ou isqueiros de chama comum, como os bic, ou o clipper, este último é recarregável, mas não use aqueles tipo maçarico, que danificam o cachimbo. Segure a chama sobre o fornilho, puxe longamente, enchendo bem a boca (mas jamais trague!), e puxe novamente algumas vezes até o tabaco acender. Logo que acender, você notará que o tabaco subiu um pouco, então aperte-o mais um pouco, de leve, com o socador. Dependendo de vários fatores, uma fumada pode durar 10 minutos, 20 minutos, até meia hora. Curta seu momento. Intercale o fumar com sua bebida favorita, alcoólica ou não, e leia um bom livro. Relaxe, pense na vida.

Você pode, com ajuda da pazinha, ir removendo a cinza que se acumula no cachimbo, ou simplesmente apertá-la com o socador. Se ele apagar, sem problemas, basta acender de novo. Se precisar apagar e guardar no bolso seu cachimbo rapidamente, com ajuda da pazinha, esvazie o fornilho até sair a brasa.

Você pode, se preferir, comprar filtros para cachimbo, vendidos nas tabacarias. São parecidos com filtros de cigarros, amenizam o sabor do fumo, além de evitar que líquido (do fumo úmido e da sua própria saliva) ou mesmo cinzas e fumo subam, mas estes dois últimos são raros. Mesmo assim, são bons, principalmente para quem está acostumado com cigarro, que tem um sabor bem mais leve.

É normal, nas primeiras vezes, você ficar com a língua ardida após fumar.

Ainda que pareça complicado no começo, uma hora você vai conseguir fazer de olhos fechados. Você não precisa fumar fora de casa, pois, ao contrário do cigarro, o cachimbo não escraviza, ele se adapta aos seus horários, não você aos dele. Mas uma hora talvez você queira, e eu garanto: Isto é algo que rouba olhares e inicia conversas. Ao contrário da fumaça dos cigarros, cujo cheiro só os fumantes aguentam, a fumaça do cachimbo alguns acham até agradável, é como um incenso.

Cuidados, manutenção e mais informações

Se você gostou do cachimbo e quer fumá-lo com alguma frequência, mesmo que seja uma vez ou duas por semana, o ideal é ter os escovilhões que mencionei acima, tanto para limpar o bucal – ou piteira – quanto o orifício do fornilho, onde ele se liga ao bucal. Se quiser uma boa limpeza, mergulhe o escovilhão em álcool. E para limpar o fornilho, e remover umidade, amasse um guardanapo, mas sem líquido algum, e o esfregue dentro do fornilho.

Os entusiastas do cachimbo recomendam você dar um tempo para o cachimbo esfriar após uma fumada, de algumas horas, até um dia inteiro se possível. Se você tiver mais de um cachimbo, pode fazer um rodízio. Mas para mim, onde mais deu problema foi no bucal.

Se em sua cidade não houver nenhuma boa tabacaria, procure no Google (ou no meu buscador favorito, o DuckDuckGo) por tabacarias online, existem algumas, com muitas variedades de cachimbo à disposição. E aliás, se alguma delas quiser fazer um merchan aqui, é só entrar em contato.


https://blogdocachimbo.com/

http://www.amigosdocachimbo.com.br/artigos/art_cachimbo_fumar.htm

Anúncios
Padrão

Um comentário sobre “Vamos falar de Cachimbo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s